Conheça nosso Grupo De Estudos!



HPV - O mal que atinge mulheres e muito mais homens do que você imagina


O HPV é a sigla para o termo em inglês Human Papiloma Virus. Em português, o nome é vírus do papiloma humano. O HPV é um vírus que atinge a pele e as mucosas, que pode causar verrugas e lesões. É importante notar que tais verrugas podem causar ou não câncer de colo de útero, garganta, pênis e ânus.

O vírus do papiloma humano pode ser transmitido com o contato com a pele, é considerado uma doença sexualmente transmissível, mas pode ocorrer contágio em pessoas imunodeprimidas com o mero contato com um objeto infectado.

Existem mais de 200 tipos de HPV. Até hoje 150 deles já foram identificados e sequenciados geneticamente. Entre esses tipos, 14 apenas podem causar lesões precursoras de câncer, como o câncer de colo de útero, garganta ou ânus. 70% dessas lesões são causadas pelos HPVs tipo 16 e 18, enquanto o HPV 31, 33, 45 e outros tipos menos comuns são encontradas nos casos restantes.

Ou seja, se você tem HPV não significa que você terá obrigatoriamente câncer. Mas poderá desenvolver. Por isso é importante o tratamento e a prevenção.

Algo que é importante notar é que o HPV pode ser tanto contraído pelos homens quanto pelas mulheres, tanto heterossexuais quanto homossexuais. E o mais alarmante é que 90% das pessoas (independentemente do gênero) no mundo todo, já contraíram (ou serão contaminadas) pelo HPV. O HPV pode ficar encubado, ou seja, dormente, por mais de 20 anos no corpo. Algo semelhante ao que ocorre com o HIV.

Quaisquer pessoas que tenham uma vida sexual ativa estão em risco de entrar em contato com algum dos tipos de HPV. No entanto alguns fatores de risco aumentam a chance de esse contato ocorrer:
  • Sexo sem proteção
  • Vida sexual precoce
  • Múltiplos parceiros
  • Não fazer exames de rotina
  • Imunodepressão, ou seja, a queda do sistema imunológico
  • Presença de outras doenças sexualmente transmissíveis (DSTs).
Além disso, os fatores de risco para câncer associado ao HPV são alterações da resposta imunológica em nosso organismo, como:
  • Múltiplas gestações
  • Uso de contraceptivos orais de alta dose por tempo prolongado
  • Tabagismo
  • Infecção pelo HIV
  • Tratamento com quimioterapia, radioterapia ou imunossupressores
  • Presença de outras doenças sexualmente transmitidas, como herpes simples e clamídia.
A grande maioria das pessoas consegue eliminar o vírus HPV naturalmente, sem necessidade de tratamento.

Por isso é importante:
  1. Fazer sexo com camisinha;
  2. Realizar exames periódicos;
  3. No caso de verrugas ou lesões realizar o tratamento o mais rápido possível;
  4. Evitar manter relações sexuais durante o tratamento (pois pode infectar seu/a parceiro/a).
E lembrar que: HPV não atinge só mulheres, nem só homossexuais. Homens heterossexuais também contraem e o número pode até ser MAIOR que o número de mulheres infectadas.