Conheça nosso Grupo De Estudos!



LISP


Lisp é uma família de linguagens de programação concebida por John McCarthy em 1958. Num célebre artigo, ele mostra que é possível usar exclusivamente funções matemáticas como estruturas de dados elementAlonzo Church). A linguagem Lisp foi projetada primariamente para o processamento de dados simbólicos.Ela é uma linguagem formal matemática. Durante os anos de 1970 e 1980, Lisp se tornou a principal linguagem da comunidade de inteligência artificial, tendo sido pioneiro em aplicações como administração automática de armazenamento, linguagens interpretadas e programação funcional.



O seu nome vem de LISt Processing (a lista é a estrutura de dados fundamental desta linguagem). Tanto os dados como o programa são representados como listas, o que permite que a linguagem manipule o código fonte como qualquer outro tipo de dados.
Existem diversos dialetos de Lisp, sendo os mais conhecidos: Common Lisp, Scheme e Clojure.


História:

Lisp é uma família de linguagens que possui uma longa história. As primeiras idéias-chave para a linguagem foram desenvolvidas por John McCarthy em 1956, durante um projeto de pesquisa em inteligência artificial. A primeira implementação da linguagem se dá no inverno de 1958. A motivação de McCarthy surgiu da idéia de desenvolver uma linguagem algébrica para processamento de listas para trabalho em IA (inteligência artificial). Esforços para a implementação de seus primeiros dialetos foram empreendidos no IBM 704, IBM 7090, DEC PDP-1, DEC PDP-6 e DEC PDP-10. O dialeto principal entre 1960 e 1965 foi o Lisp 1.5.No início dos anos 1970, houve outros dois dialetos predominantes, desenvolvidos através de esforços anteriores: MacLisp e Interlisp.
Apesar das primeiras implementações do Lisp terem sido realizados nos IBM 704 e 7090, trabalhos posteriores concentraram-se nos DEC PDP-6 e PDP-10, este último sendo o baluarte do Lisp e das pesquisas em IA (inteligência artificial) em lugares como o MIT (Massachussets Institute of Tecnology) e as Universidades de Stanford e Carnegie-Mellon até metade dos anos 1970. O computador PDP-10 e seu antecessor, o PDP-6 eram por definição, especialmente adequados para o Lisp, por possuírem palavras de 36 bits e endereços de 18 bits. Esta arquitetura permitia um registro de um cons cell (par pontuado) em uma única palavra de memória, em instruções simples extraíam o seu car e cdr. Esses computadores possuíam também poderosas instruções de pilha, que proporcionavam rápida chamada a funções; porém suas limitações em 1973 eram evidentes: suportavam um pequeno número de pesquisadores utilizando o Lisp e seu endereçamento em 18 bits limitava o espaço dos programas.
 Uma resposta para o problema de endereçamento foi o desenvolvimento do "Lisp Machine",um computador dedicado especialmente à tarefa de trabalhar com a linguagem. Outra solução foi a utilização de computadores de uso geral com maior capacidade de endereçamento, como o DEC VAX e o S1 Mark IIA.