Conheça nosso Grupo De Estudos!



[1/8] Preconceito e Opinião

Este artigo é parte da série "Sexualidade, Opressão e Violência", dividida em 8 partes. Para ter acesso aos outros conteúdos, visite a publicação índice clicando aqui. O Projeto Vision é uma iniciativa conjunta de Lacking Faces e Anonymous FUEL.

Preconceito, Opinião, Discriminação, Fobia


Preconceito: É qualquer conceito formado de maneira precipitada. Quando formamos uma opinião sem base em fatos, em experiência ou algum referencial técnico, formamos um preconceito. Todo mundo tem preconceitos sobre alguma coisa. É a maneira como nossa mente funciona. Se não temos uma explicação racional, buscamos uma explicação com base naquilo que sabemos e já vivemos. O grande perigo dos preconceitos é quando não buscamos "quebrá-los", ou seja, quando não vamos atrás de informação para saber se nossas especulações estão certas. Através do estudo e da observação, nós podemos transformar nossos preconceitos em conceitos. Quando alguém diz que você está praticando preconceito, no lugar de levar como ofensa pessoal, busque referências para o que você afirmou. Quando não tentamos quebrar nossos preconceitos, podemos cometer discriminação. O preconceito é uma relação do indivíduo consigo mesmo, ou seja, sobre as concepções que ele tem sobre as coisas que o circulam. Exemplo: Acreditar que mulheres são piores em matemática, que negros são propensos ao crime ou que homossexuais são pessoas mais promíscuas. Nenhuma dessas afirmações tem fundamento racional ou científico.

Opinião: É quando alguém expressa um pensamento sobre um assunto. Se esse pensamento não for baseado em fatos, essa opinião pode ser preconceituosa. Uma opinião não precisa ser respeitada se ela é preconceituosa, porque ela provavelmente está errada. Temos opiniões sobre muita coisa e frequentemente essas opiniões estão erradas. A máxima de que "é minha opinião e você precisa respeitar" não faz sentido. Precisamos respeitar pessoas e fatos. Se a sua opinião não está baseada em fatos, ela não precisa ser respeitada. Pelo contrário, ela  deve ser questionada. Mas uma pessoa com uma opinião errada ainda deve ser respeitada, ou seja, questionar e negar a opinião é diferente de agredir a pessoa.

Discriminação: É quando tratamos alguém com diferença por conta de alguma condição que essa pessoa apresenta. Se deixamos de contratar alguém por sua orientação sexual, se atravessamos a rua por sua cor de pele, se oferecemos um salário menor por seu gênero. A discriminação em alguns casos pode configurar crime. Mas independente de ela ser considerada crime onde você vive, é uma prática de injustiça. A discriminação é uma relação do indivíduo com o meio em que vive. Ela sempre vai envolver diretamente outra pessoa ou grupo de pessoas. Ela é uma ação (ou seja,  precisa ser expressa por meio de fala, escrita, atitude, etc). A discriminação é diferente de compensações sociais, que são políticas afirmativas que buscam compensar as injustiças sofridas por indivíduos ou grupos discriminados. Exemplo: Não querer fazer o trabalho de matemática com uma amiga por ser mulher, não querer sentar ao lado de uma pessoa negra com medo de sofrer assalto ou evitar a companhia de pessoas homossexuais por achar que sofrerá assédio.

Fobia: Uma fobia é um transtorno de ordem psíquica. Quando um preconceito começa a interferir na sua socialização com o meio, de modo que você passe a reproduzir comportamentos de medo e agressividade em relação ao objeto desse preconceito, isso pode configurar uma fobia. O termo  "fobia" ganhou também um sentido político para as pessoas que reproduzem comportamentos discriminatórios de maneira crônica, ou seja, com frequência. Uma pessoa homofóbica, por exemplo, reproduzirá discursos e atitudes que discriminam pessoas homossexuais. A fobia é quando uma relação da pessoa com a sociedade, baseada em preconceitos, faz com que ela naturalize suas discriminações, acreditando que aquilo é normal, que não há nada demais, e que ela está no seu direito, enquanto pratica e apoia injustiças com outras pessoas. Outros exemplos:
  • Homofobia: Prática discriminatória contra pessoas que se relacionam sexual e afetivamente com outras do mesmo gênero.
  • Lesbofobia: Semelhante à homofobia, mas específica para mulheres homossexuais, que sofrem alguns tipos de discriminação específica.
  • Bifobia: É relativa aos bissexuais, pessoas que se relacionam com os gênero  masculino e feminino, e pode ser praticada até mesmo por outros indivíduos LGBT.
  • Transfobia: Discriminação sistêmica de pessoas transgênero, travestis e/ou não-binárias.
  • Xenofobia: Enxergar e tratar com inferioridade pessoas vindas de outras origens geográficas.
  • Etnofobia: Relativa a pessoas de etnias diferentes da sua.

Próximo