Conheça nosso Grupo De Estudos!



Ainda devemos ter fé na humanidade?


Fé na Humanidade


  A fé na humanidade ainda não se esvaiu, o homem tem a capacidade de declarar guerra contra a sua própria espécie, mas também tem a capacidade de mudar a si próprio e ver o outro como parte de si, se colocar no lugar outro, sentir a dor e a felicidade alheia. Nos tornamos tão individualistas que esquecemos da nossa verdadeira essência, essência essa que é profunda e designa a natureza do ser humano, a maneira de pensar, sentir e agir; A nossa essência é o conjunto dos valores morais e éticos, algo que nos torna realmente humanos, que nos humaniza que nos difere dos animais. O individualismo é somente necessário quando formos refletir sobre nós mesmos e nos auto compreender para que efetuemos a mudança pessoal, pois ninguém pode mudar por nós, é uma decisão que desde o início parte de si próprio. Eis um grande problema contemporâneo, ser individual não é o problema, o problema está na indiferença com o outro, que nos torna pessoas aptas ao padrão capitalista onde o grande objetivo é a construção de si para governar o outro.          
                                                                                                                                              
 A mudança é possível e se torna real através da auto conscientização e autoconhecimento, para entender e compreender o outro primeiramente é preciso entender e compreender a nós mesmos, questionar-se e através da autorreflexão achar respostas para suas próprias perguntas, saber reconhecer seus defeitos e virtudes e lutar para obter alguma mudança real. Além do mais a mudança deve vir primeiramente dentro de nós, pois quando mudamos o mundo muda conosco. Se nos perguntarmos o que nos torna tão individualista, a resposta seria simples, o ego. O egocentrismo está relacionado com o narcisismo e o egoísmo, e significa "eu no centro", ou seja, é uma característica negativa do ser humano, presente em nós desde a infância, sua formação se dá a partir dos 3 anos de idade, onde o "eu" sempre vem em primeiro lugar; Característica essa que nos faz ter um desejo de ser melhor que o outro, e isso acaba refletindo em nossas ações podendo prejudicar os demais pensando apenas no nosso bem-estar.      

 O indivíduo egocêntrico vive em estado de miopia social, imerso em um mundo fantasioso onde tudo gira ao seu redor, além disso, vive em um estado de ignorância, pois por julgar as suas próprias opiniões e desejos sempre melhores e dogmáticos, acaba desconhecendo novos pontos de vista, tornando-se assim prisioneiro da sua própria ignorância.   Uma forma de começar a mudar isso é deixar de agir como "eu" e começar a agir como "nós" ou para "eles", desconstruindo então o pensamento egocêntrico e individual, iniciando uma forma de pensar e agir totalmente nova e consciente, voltada para o bem comum. Independentemente das nossas crenças, religiões, cultura, etnia... não estamos aqui para um apunhalar o outro e sim para contribuir em uma ajuda simultânea.

  A luta contra o ego, é uma guerra interna e constante; A eliminação do ego é possível, entretanto primeiramente, através do auto investigação, é preciso identificar as suas formas de manifestação, compreendê-las, para só depois trabalhar na sua desintegração.  Infelizmente vivemos em uma sociedade extremamente egocêntrica, porém há algo que pode ser mudado, pois enquanto um de nós tivermos esperança na humanidade, nada estará perdido. Nós seres humanos temos a capacidade de se "auto melhorar" sempre, basta 3 conceitos básicos, vontade, concentração e esforço, a partir dessas palavras nasce a continuidade, e com continuidade e um verdadeiro propósito podemos realizar feitos surpreendentes causando dentro de nós e dentro da sociedade um despertar de consciência virando o jogo no tabuleiro.                
                                                      
 Portanto não se deve perder a fé na humanidade, pois o próprio conceito humanidade veio a ser constituído para manter a harmonia e tornar-se possível uma sociedade onde todos possam conviver, então por mais que nesse meio social obscuro, individualista onde o progresso seja a busca insaciável do homem, pareça mal, sempre o bem irá prevalecer é nisso que devemos investir e acreditar pois a esperança é o que nos move, a esperança na busca da felicidade plena, enquanto tivermos isso como caminho, as coisas poderão mudar, sendo assim nunca desista de seus sonhos, e construa seu caminho pensando no outro pois tudo que conseguimos é constituído nas relações com o outro.