Conheça nosso Grupo De Estudos!



Direita X Esquerda




É conveniente ouvirmos falar sobre a "esquerda" e sobre a "direita" e as contendas que ocorrem devido aos interesses de cada um desses lados. E esse ano como um ano de eleições, é o que mais vemos alguns apoiando esquerda ou direta.
Vamos primeiro saber o que cada um deles defende, quais são os seus interesses:
Esquerda: favorece o controle estatal da economia e a interferência ativa do governo em todos os setores da vida social, colocando o ideal igualitário acima de outras considerações de ordem moral, cultural, patriótica ou religiosa.
Direita: favorece a liberdade de mercado, defende os direitos individuais e os poderes sociais intermediários contra a intervenção do Estado e coloca o patriotismo e os valores religiosos e culturais tradicionais acima de quaisquer projetos de reforma da sociedade.
Representadas por dois ou mais partidos e amparados nos seus respectivos mentores intelectuais e órgãos de mídia, essas forças se alternam no governo conforme as favoreça o resultado de eleições livres e periódicas, de modo que os sucessos e fracassos de cada uma durante sua passagem pelo poder sejam mutuamente compensados e tudo concorra, no fim das contas, para o benefício da população.
E fora a esquerda e a direta, temos o centro que são as zonas indecisas em relação ao apoio das duas facções maiores. O centro é definido como aqueles que não apoiam ambos os lados, ficam neutros e tem uma visão geral do sistema.
Dentro da direita e esquerda, tem os "extremistas":  a extrema esquerda prega a submissão integral da sociedade a uma ideologia revolucionária personificada num Partido-Estado, a extinção completa dos valores morais e religiosos tradicionais, o igualitarismo forçado por meio da intervenção fiscal, judiciária e policial. A extrema direita propõe a criminalização de toda a esquerda, a imposição da uniformidade moral e religiosa sob a bandeira de valores tradicionais, a transmutação de toda a sociedade numa militância patriótica obediente e disciplinada.
Agora que vem o grande fator questionável, temos duas vertentes aos quais tem visões distintas sobre o que é o melhor para população. Mas já se perguntaram, se alguma vez perguntaram a população o que acham melhor para eles? Não é irônico, ficarmos simplesmente vermos pessoas discutindo sobre nossos interesses, porém sem nos consultarmos?
Todos sabem que na verdade, esses vulgos "interesses" são apenas maquiagens para eles fazerem aquilo que é do interesse deles e dos aliados (governo, corporações e outros), porém de forma ao qual passe uma imagem a população que isto é interesse nosso e não deles.
Assim como é citado no V for Vendetta "O povo deve saber como fazer o seu governo obedecer às suas ideias". Então porque não tomamos uma postura, invés de sermos apenas "massa", e vamos em busca da nossa liberdade e fazermos nosso governo? Será que não sabemos o poder que temos ou comodismo tomou conta do nosso espírito e ficaremos limitados, sempre deixar os "outros" decidirmos por nós? Vamos refletir e fazermos a mudança!