Conheça nosso Grupo De Estudos!



Refletindo sobre o tempo de vida em 2016


Inicial




    No meio de meus muitos trabalhos, suando e irritado, entrei em uma discussão com um amigo que dizia que "assim que se faz", bem, eu discordava totalmente. Trabalhos manuais custam tempo e energia, eu não gosto disso, trabalho oficialmente com tecnologia, ciência, pesquisa e desenvolvimento, não preciso de muitas coisas manuais, mas até para digitar no computador algum código, me irrita, pois é lerdo comparado a criação daquele código em minha mente. O processo mecânico me irrita.
    Em minha vida pessoal tenho tido muitos trabalhos dissecando equipamentos, consertando alguns, mas focado em buscar peças desses equipamentos para meus protótipos, protótipos esses projetados 100% a meses. Isso custa tempo e é irritante queimar a mão com a solda, pois não tem o EPI necessário, mas não me seria problema se eu não tivesse que bater ponto todo dia e perder tempo todo dia no trabalho oficial para sobreviver e eu nem ganho um salário mínimo. Revoltado com essa situação concluí que no início do ano eu já poderia ter terminado meu protótipo e com isso muitas coisas poderiam ter melhorado, ao menos meu emocional. Mas já tá chegando no final do mês e eu não consegui. Por que ? Fiquei me perguntando. Não tive uma resposta clara além da que eu não tenho tempo e energia para dedicar a isso mais.


De criança para jovem e de jovem para adulto, de adulto para idoso e então morte.





    Quando se é criança, pensei, se faz tudo que vem na mente por vontade, se diverte, é curioso, sem preocupações, apenas quer conhecer o mundo que o volta. Curiosamente, sai explorando tudo, sem medo e com um sorriso no rosto, isso é o humano, inteligente e curioso, procurando mais e mais. Os adultos ao redor obviamente tentam impedir que o novo humaninho se machuque em seu caminho de descobertas. Aprendendo empiricamente com suas descobertas ou na maioria: exemplos de outros, isso é a criança.

    Quando cresce mais um pouco, se torna um jovem, passando por diversas mudanças físicas e psicológicas, essa é a fase aonde a humano se define em seu meio. Adiciona uma religião, uma moral, um nível de bondade, forma a personalidade. Nesse momento a preocupação não é mais conhecer o seu redor, ele conheceu enquanto criança, agora ele quer conhecer o seu interior e o das pessoas ao seu redor, descobrindo intensamente o seu físico, seus instintos, o dia desse humano se resume em social e auto conhecimento, grande parte física. Alguns nessa época trabalham para se sustentar ou sustentar sua família, ganhando estresse com isso, vivendo uma vida dividida em estudo e trabalho, pouco social, poucas descobertas. O resultado disso é um atraso pessoal sobre auto conhecimento, sobre o meio social. A vida se torna algo pesado para alguém que fica nisso. Aqui eu digo de quem trabalha e estuda muito.
    Sobre os outros em estado normal nessa época, as vezes fazem um bico por ai, mas isso não interfere. Vocês namoram, saem com os amigos, descobrem novos conhecimentos que na maioria das vezes define como será seu profissional. Seus namoros costumam fracassar, é seu primeiro, você não sabe o que fazer e tem vergonha de pedir ajuda, mesmo que peça não é muito útil, você erra, acaba tudo e reinicia depois, não comentando os mesmos erros você diz.
    Saindo com os amigos é algo divertido, mas você percebe que as conversas são as mesmas, são os mesmos tópicos determinado pelo seu contexto nessa época, nada nunca muda, você ri sobre o mesmo e fala sobre o mesmo. Então você percebe que seus amigos e pessoas que te rodeiam são iguais a você, você só se aproxima de quem tem idéias próximas as suas, difícil aceitar crítica do ser humano, difícil se aproximar de quem é seu oposto, as vezes você se acostuma tanto nisso que quando vê algo diferente de suas idéias fica bem surpreso! Você agora esqueceu que os diferentes de você existem também, e são a maioria.
    Você reparou ? Até aqui tu tem sido uma imitação do seu meio com adicional de suas experiências e no futuro, tu será o meio que criará mais uma imitação.
    Já no final da juventude tu já tem um meio profissional, algo que quer fazer, algo que precisa, algo que faz. Não importa se você gosta de algo ou não, você está pressionado a ser um profissional, de qualquer forma.
    Gosta das festas? Pegar aquela galera e se divertir? Ou então: gosta da sua casa com seu amor? Ou talvez você seja um tipo mais isolado, o que tu gosta de fazer, faz no seu canto. Seja como for, tu sabe que ta pra acabar. Mesmo que prorrogue ao máximo, tu sabe que um dia não poderá mais então você fica desesperado, o tempo tá acabando ? Tá sim.
    Você já tá no meio da vida útil, o que tu fez? Valeu a pena ? Em minha vida não tem nada válido, eu não tenho feito o que queria.
    Em nosso sistema atual, nós, simples trabalhadores, vivemos a vida enrolando até a morte.
    Poderíamos criar um novo mundo, curar doenças, salvar vidas, trazer novos conhecimentos, conhecer o universo, poderíamos fazer tudo que quiséssemos! Mas estamos ocupados demais tentando sobreviver e enrolando com nossas distrações.

    Agora temos uma família, você se distraiu demais, adorou o que estava fazendo, decidiu casar, teve filho, achou que estava suficientemente bem né, pronto, agora temos uma família. O que tu vai fazer?     Vai passar o bebê para a vó da criança? Vai parar de trabalhar? Vai pegar licença alguma coisa como se fosse suficiente? Não faz diferença o que faça, o ciclo continua o mesmo, não é mesmo?
    Já escolheu qual educação tentará dar? Será igual a que te deram ou você aprendeu algo nessa vidinha?
    Será que algum dos milhares de protótipos, técnicos ou não, que tu inventou durante a sua juventude será produzido? Não sei, você tem menos tempo ainda, agora.
    Então você assiste a evolução de seu Pokémon filho até ele repetir todo o ciclo e você já estar morto.

    Aí a idade chega. Você já está mais lento, menos inteligente. O que vai fazer agora ? Apenas esperar, aproveitar o resto que te sobra com quem tu escolheu passar esse tempo e fim, acaba tua existência.

Conclusão




    Após tudo dito, tu deve estar pensando sobre sua vida, sobre o que fez, faz e fará. Eu fiz isso e tenho muito o que fazer.
Boa sorte.